Histórico
Documento de Doação
            Histórico             Documento de Doação      

Documentação de Doação do Patrimônio ao Glorioso Santo Antônio

Dizemos nós Antônio Joaquim da Silva Guerra e minha mulher Luiza Corrêa de Andrade que entre os bens de nosso casal que possuímos livres e desembargados, é assim uma parte de terras de culturas, campos, que temos na fazenda denominada de Patos, na applicação de Sant’Anna da Barra do Espirito Santo, Termo de Araxá e Comarca da Villa de Paracatú do Principe, a qual parte de terras e campos houvemos por herança dos finados meus sogros José Corrêa de Andrade e Rosa Dias de Oliveira e desta mesma parte damos um pedaço ao Glorioso Santo Antonio, da cabeceira do Brejo do açude pelo espigão cortando o rumo direito ao esbarrancado que está por baixo do pasto da manga por ele abaixo até o rio Paranahyba, pelo veio d"água até a divisa das terras de Francisco Xavier da Cruz, e seguirá por ela em diante até finalizar com as terras de Manoel Joaquim de Sousa pelo córrego acima até fechar a cabeceira dito brejo do açude; a qual parte de terras acima dita foi avaliada com seus pertences por Filisberto José da Fonseca e Pedro Corrêa de Andrade em setenta mil reis os quais avaliadores assim concordaram, e também se acham assignados nesta dádiva a qual é feita por nós acima ditos ao mesmo Santo, a fim de se lhe edificar um templo e também para cômodo dos povos e não sendo para este efeito não terá valimento algum esta; poderá o mesmo Santo gozar desta dádiva como sua; que fica sendo de hoje para sempre em quem cedemos e traspassamos, toda posse, jus e domínio que na dita parte de terra temos com seus predicados e nos obrigamos a fazer boa esta dádiva boa pelos bens que possuímos e nem os nossos herdeiros poderão desfazer esta nossa vontade, e se neste papel faltar alguma clausula ou clasulas, assim direito necessário, aqui os houvemos por expressar e declaradas, e pedimos a Justiça de S. M. I. P. lhe queira dar inteira validade e queremos que tenha vigor como se fosse escritura publica.E para firmeza de tudo pedimos à Antonio José de Castro que este por nós fisesse e eu me assigno de meu próprio punho e o dito Castro por minha mulher e como testemunhas tambem se assignam estando presentes os abaixo assignados. Fazenda denominada dos Patos, dezenove de Junho de 1826. Antonio Joaquim da Silva Guerra. A rogo da sobredita Luiza Corrêa de Andrade, Antonio José de Castro.Como testemunha que este vi fazer João Gomes do Rego.Como testemunha Francisco de Sousa Lobo, idem Manoel Joaquim de Sousa.Como avaliadores Filisberto José da Fonseca, idem Pedro Corrêa de Andrade.Como testemunha Antonio José de Castro.

 

(na íntegra)

Receba as notícias e artigos da Diocese de Patos de Minas. Cadastre seu e-mail...