Formação
SAV
            Formação             SAV      

O SAV é um serviço por excelência da Igreja que trabalha em prol de todas as vocações. Temos a vocação ao Sacramento da Ordem (diáconos, padres e bispos); a vocação Laical (todo batizado em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, incorporado a Igreja de Jesus Cristo). Temos também a vocação Religiosa (contemplativa, ativa e mista), e a vocação missionária, ou seja, aqueles que saem pelos cinco continentes evangelizando em nome da Igreja de Cristo (bispos, padres, diáconos, religiosos e leigos). O SAV é uma equipe cujo dirigente por excelência é o bispo Diocesano, tendo como um assessor direto em nível diocesano, um padre. Em nossa diocese é o Padre Ivan José Ribeiro, reitor do Seminário Menor Monsenhor Josias Tolentino de Patrocínio. O SAV deve-se estender por todas as paróquias da diocese a pedido do Bispo, pois todas são responsáveis pelas vocações existentes na Igreja. O assessor diocesano, juntamente com os demais componentes da equipe vocacional diocesana, assessora as vocações que vão surgindo nas respectivas paróquias da diocese e ao mesmo tempo, na medida da possibilidade contribui também com o estímulo ao chamado vocacional, não sendo de responsabilidade total do Bispo, do assessor e da equipe que auxilia, pois o primeiro promotor vocacional em cada paróquia é o pároco...

São quatro objetivos centrais e entrelaçados que o SAV tem a cumprir na paróquia e em toda a Diocese! O primeiro deles é na área da oração. “A colheita é grande, mas os operários são poucos. Pedi, pois, ao Senhor da colheita que envie operários para sua colheita” (Lc 10,2). O quarto domingo da Páscoa é o dia Mundial de oração pelas Vocações, sendo o Domingo do Bom Pastor. Depois num segundo momento o SAV atua na área da Formação, pois o mundo oferece muita informação que mais deforma do que informa na verdade. Então o SAV trabalha nesta área para formar pessoas aptas para o compromisso vocacional em nossa diocese e nas respectivas paróquias da mesma. É preciso o conhecimento do Evangelho de Cristo e da doutrina da Igreja, para que tenhamos agentes de pastoral convictos de que Deus escuta os nossos clamores e chama, capacita e envia pessoas para essa tão sublime missão de salvar almas. O terceiro momento do SAV é na área do chamado direto, ou seja, é a atividade decisiva da pastoral de chamar pessoas para a vocação certa, conforme os dons e carismas que cada um apresentar. E não somente esperar que alguém se apresente, pois Jesus não esperou que os Apóstolos se apresentassem. Apresentou-se a eles, chamando-os e escolhendo-os. É preciso um bom discernimento para chamar a pessoa para a vocação certa, pois uma pessoa numa vocação errada é uma tragédia para a Igreja e toda a sociedade e para a própria pessoa mesmo. E um quarto momento é na área da colaboração financeira. A formação dos futuros padres não fica por pouco custo. A despesa com seminaristas, com casas de formação, o sustento da própria pastoral vocacional requer o mínimo de colaboração. Nesta dimensão entra também o espírito de sacrifício e de vida de comunidade, ou seja, de pessoas que entenderam o projeto do Deus de Jesus Cristo. “Que todos sejam um” (João 17,21). Que haja um só rebanho e um só pastor. Que este desejo de unidade perdure nesta pastoral, oferecendo-se em espírito de sacrifício e de comunhão.

 

Padre Ivan José Ribeiro

Assessor Diocesano da Pastoral Vocacional: Pe. Iram Alves Martins Júnior
 

Receba as notícias e artigos da Diocese de Patos de Minas. Cadastre seu e-mail...